Hoje, dia 21 de junho, começa o inverno, para nós que estamos no hemisfério sul. No hemisfério norte é o início do verão, com a belíssima Fête de la Musique, em Paris. Solstício é uma palavra latina composta de “Sol” e do verbo “Sto”, manter-se em pé, manter-se imóvel. De fato, a nossos olhos, parece que o sol parou, após chegar ao extremo da sua caminhada, seja para …o norte (solstício de inverno), seja para o sul (solstício de verão). Com o advento do solstício de inverno, hoje teremos o dia mais curto do ano; haverá, portanto, menos claridade e mais escuridão. Com o inverno vem a bruma (não para nós do Nordeste…), característica do tempo frio. O substantivo bruma, brumae, em latim, é proveniente de *breuima, forma sincopada de breuissima, feminino de breuissimus, -a, -um, por sua vez superlativo de brevis, -e, breve. O termo bruma diz respeito, pois, ao dia mais curto do ano, o solstício de inverno, que, no hemisfério norte, ocorre no dia 21 de dezembro, pois na expressão breuima ou breuissima costuma-se subtender o termo dies: dies breuima ou dies breuissima, o dia mais curto, o dia mais breve do ano, o solstício de inverno, portanto. A relação entre bruma, solstício de inverno e bruma, o nevoeiro, se dá por metonímia, tendo em vista, ser o inverno o mês de frequentes nevoeiros. Veja-se o que diz Ovídio (43 a. C. – 17 d. C.), com relação a isto:
Bruma noui prima est ueterisque nouissima solis;       Principium capiunt Phoebus et annus idem.
O dia mais breve do ano é o primeiro do novo sol e o último do velho;       Febo e o ano encerram o mesmo princípio.
(Fasti dies, Liber, I, v. 163-164, resposta de Jano a Ovídio, explicando o porquê de o ano começar em janeiro)

Categoria: Destaque